Saberes cruzados

Há muitos anos que me dedico ao estudo da cerâmica, mas há muitos mais anos que gosto de meter as mãos na massa (tal como se estivesse a fazer uma peça de olaria…) e ir para a cozinha testar novos pratos ou fazer os que me encantam.
Ao longo dos anos fui acumulando histórias sobre cerâmica e histórias sobre pratos e seus sabores em Portugal, sempre com a preocupação de conhecer a cerâmica e a gastronomia de outros tempos, mas também, os homens e mulheres que conceberam as peças cerâmicas ou as receitas culinárias.
Gosto da história da cerâmica e também gosto da história da gastronomia e, por isso, vou usar este blogue para cruzar estes dois saberes e colocar aqui o que sei sobre eles.
Podia ter optado por criar um blogue só sobre cerâmica e outro só sobre gastronomia, mas nem sei se vou conseguir manter acesa a chama neste, quanto mais em dois!
A minha ligação com as novas tecnologias é de amor e ódio… Acho um meio fantástico de divulgação e odeio todos os botões e ferramentas que me obrigam a conhecer para chegar ao fim que pretendo!
Mas como o caminho se faz caminhando aqui estou eu a tentar criar este blogue no wordpress e não noutro qualquer porque, simplesmente, me atraiu o seu ar limpo e arrumado.
Será que eu vou conseguir manter limpo e arrumado o meu blogue? Isso já não sei…

Neste blogue irei falar sobre gastronomia, mais numa perspectiva histórica do que actual, apesar de haver um “cantinho” dedicado a colocar as receitas de que mais gosto.
Quando me comecei a dedicar ao estudo da cerâmica, acabei por me cruzar com a gastronomia, pois, muitas das peças cerâmicas antigas foram criadas para conservar, preparar, cozinhar e servir os alimentos.
A gastronomia histórica em Portugal, se assim me posso expressar, ainda tem muito caminho para percorrer. Aqui e ali vão surgindo textos sobre o que se comia na Idade Média ou em séculos mais próximos de nós, mas há ainda muito que investigar e descobrir.

Anúncios

6 thoughts on “Saberes cruzados

  1. Poderá ter acesso a algumas das fotografias neste link. Quando fui à festa tirei slides, que possuo e que lhe disponibilizo se algum dia necessitar. Apenas digitalizei estas quatro que ilustram bem a curiosa disposição das pessoas ao longo da toalha colocada na erva do campo.
    http://imgur.com/a/jbe3y

      • Através de uma amiga comum ( Isabel Dias Costa) acabei leitora do seus interessantes textos. Tenho ainda através do meu marido ligações a Cabeceiras pelo que acabo por gostar imenso de encontrar referências a uma terra que sempre admirei.
        Foi assim que li com paixão o seu texto sobre a festa de Gondiães e gostava de partilhar consigo algumas fotografias que tenho da Festa das papas de Samão. Foi na década de 80 quando a festa ainda se realizava no campo e com papas a sério, “intragável”, umas broas deliciosas, e o vinho, tudo carregado num carro de bois. Espectáculo inesquecível porque estava um dia de sol radioso …
        Se quiser envio-lhe algumas dessas fotografias!
        Obrigada por me fazer relembrar essa festa.
        Mafalda Carneiro

      • Gostaria imenso de ter acesso a essas imagens e, se o permitir, coloco-as no blogue, indicando, como é lógico, a autoria. Espero poder ir à festa das papas, em Samão, no próximo ano.

Deixe uma Resposta para Maria Teresa Martins da costa Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s