Pão da Madeira: pão de batata doce

Pão de batata doce (Caniçal, Madeira)
Parece que está documentada a produção de batata doce na Madeira desde pelo menos o século XVII, encontrando-se difundido o seu cultivo principalmente nos concelhos de Ribeira Brava, Machico, Calheta, Ponta do Sol e Santana. A batata doce é usada na Madeira para cozer, assar, fazer pão e doces.
No restaurante Amarelo, no Caniçal tivemos oportunidade de provar pão de batata. É um pão leve, de sabor um pouco adocicado.
Vale a pena ver o modo como a Senhora Adelaide, de 80 anos, produz o pão de batata doce e quais os ingredientes que utiliza (Veja-se http://youtu.be/BvpYyAZqS8Q).
Note-se que a Senhora Adelaide não passa a batata cozida pelo passevite (veja-se o vídeo) mas utiliza-a inteira e vai-a esmagando com as mãos à medida que lhe junta a água morna e a farinha. No pão de batata doce que comi ainda se encontravam pequenos pedaços de batata. Acredito que antigamente as pessoas utilizassem a batata cozida inteira, que iam esmagando à medida que preparavam a massa.
De seguida apresenta-se uma receita de pão de batata doce tal como consta no site da junta de freguesia de Fajã da Ovelha, na Calheta (Madeira).


Ingredientes
5 kg de farinha de trigo
1 kg de batata doce
50 grs. de fermento de padeiro
Sal q.b.
Água q.b.

Preparação
Coza a batata e passe-a no ralador. Depois, coloque a farinha num alguidar de madeira, com uma cova no meio onde se coloca o fermento. Adicione água morna temperada de sal e a batata. Amasse com os punhos até a massa ficar elástica. Depois, tape com uma toalha e deixe descansar durante uns 10 minutos. Quando fizer “bexiga”, tenda os pães em forma de pão vulgar. Deixe levedar durante mais ou menos 1 hora numa toalha branca e coloque um cobertor sobre a toalha para fazer a “cama” do pão. Quando ao tocar com o dedo a massa ceder, leve-o a cozer 30 minutos em forno com “pestana”. Ao entrar no forno a oração tradicional é a seguinte: “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Depois de arrumados os pães, sacuda a farinha do tendal na porta do forno e diga: “Pega lá o que é teu”. Durante a amassadura não é permitido à pessoa que amassa beber água, embora o esforço seja grande. In Junta de Freguesia de Fajã da Ovelha http://www.jf-fajadaovelha.pt/home.php?s=3&t=3&id=1&p=2

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s